quarta-feira, 25 de abril de 2007

Francamente...





Comentário rápido. Essa foto saiu hoje, dia 25/04/2007, na internet, na página da UOL. O seguinte texto acompanha a foto: “George W. Bush dança com grupo de Senegal durante evento de prevenção à malária, no jardim da Casa Branca” A foto de Jason Reed/ Reuters. Francamente, os Estados Unidos, como o resto do mundo rico, abandonaram a África a própria sorte faz muito tempo. Canso só de ver esse teatro. Mas o degradante disso é o Presidente Americano, homem que abandonou New Orleans em 25 de Agosto de 2005 quando o Furacão Katrina atingiu o sul daquele país, se utilizar da África e de homens negros para melhorar o que sobrou da sua patética imagem.
Explico a minha demora em comentar a tragédia em questão. Spike Lee, documentou os dias que se seguiram à invasão das águas e a destruição da cidade e morte do povo daquele estado americano. Em um documentário político e eloqüente apresenta dados simples para análise, a administração daquele país abandona ou simplesmente não olha para nenhuma questão que envolva pessoas pobres e negras, mesmo que se trate de um estado inteiro da sua própria federação. Agora faz essa cara de idiota procurando vincular sua imagem a uma pessoa e um grupo de cor.
O filme em quatro partes passa na HBO esse mês, e espero que continue, por isso a atualidade do tema e da indignação...
Assistam:





3 comentários:

Fernando Amaral disse...

Bento XVI vem aí...

Pedro disse...

Renato meu querido,
Não tenho HBO. Me faça um favor (um não, quatro) gravando o documentário. Vencida esta etapa, providencie a conversão em formato eletrônico para que eu possa baixar no soulseek. Você sabe que ficarei eternamente grato.
Mais uma vez, parabéns pelo seu espaço. Muitas saudades sempre.
Beijo grande, Pedro.
P.S.: dê notícias porra!

Anônimo disse...

vi tudo isso. cena patética. você realmente passeia pela vida com olhar atento, crítico, um cronista. não quero que me considere sectária, todavia, este "aficano" deve fazer parte daqueles que trabalham com "espírito" humanitário tirando proveito da situação. nossa velha mãe Africa está cheia de "salve-se quem puder".